14 de janeiro de 2013


Campanha foi gravada há uma semana, em Cabeço de Vide.
Ricardo Araújo Pereira, José Diogo Quintela, Tiago Dores e Miguel Góis voltam a juntar-se num contrato milionário para o Meo, da Portugal Telecom (PT).

Durante pelo menos mais um ano, sabe o Diário Económico, os quatro humoristas que compõem a fórmula de sucesso dos Gato Fedorento garantirão as vagas de comunicação que se seguem à que foi apresentada na passada sexta-feira. O conceito criativo e a campanha têm a assinatura da Partners, mas a nova imagem do Meo é da responsabilidade da MyBrand, a agência de ‘branding' do grupo.

Apesar de ter começado a ser desenvolvida em Novembro, a campanha foi filmada apenas há uma semana, entre 6 e 7 de Janeiro. As marcas estranhas que serviram de ‘teaser' para a nova assinatura da marca -e que estiveram na rede de mupis nacional desde 2 de Janeiro - foram desenhadas nos campos agrícolas de Cabeço de Vide na madrugada de 20 de Dezembro, depois da notícia de que a Nasa acreditava que a vida na Terra começara naquela localidade e de forma a coincidir com a data do fim do mundo, profetizada pelo calendário Maia. As equipas da agência tiveram de chegar a acordo com o proprietário dos terrenos para que os pudesse lavrar com os símbolos que viriam a formar a nova imagem do Meo. Só o "O" que surgiu na campanha ocupava perto de um hectare.

A nova campanha conta a história de Norman MacCallum, um jornalista sénior que ao estilo da CBS, num programa fictício chamado "Quatro minuos e Meio" investiga as misteriosas marcas de Cabeço de Vide. As fontes que o ajudam na investigação são os Gato Fedorento. Norman é o verdadeiro nome do actor que respondeu ao casting mas que muito surpreendeu Luís Avelar, administrador da PT com o pelouro do Marketing.

"A descoberta do inglês deixou-me doido. A ideia existia, mas encontrar alguém que personificasse tão bem a lógica do ‘60 minutes' foi fantástico", disse, ao Diário Económico. Segundo o responsável, apesar de haver um "pequeno guião" a maioria dos ‘twists' que surgem no anúncio foram "improvisos" dos humoristas que foram aproveitados para a campanha.
Sem surpresas, foi também "manobra" da PT a decisão de afastar os ‘Gatos' dos últimos episódios do ‘Fora da Box' - a vaga de comunicação anterior do Meo - e dos rumores de que estariam a trabalhar com outra marca. O objectivo era desvincular os profissionais para garantir o efeito surpresa em mais uma campanha.

Depois desta, a próxima vaga, que já está a ser preparada, pega na assinatura "é outra vida" e no projecto de uma escola de que Ricardo Araújo Pereira fala no anúncio. Será uma campanha mais pedagógica sobre como as famílias portuguesas podem beneficiar do M40.

A campanha que se quis viral, numa primeira fase, fez muito para não passar despercebida. No dia de lançamento, a passada sexta-feira, garantiu quatro minutos e meio de publicidade, em simultâneo, nos três canais generalistas portugueses, em horário nobre, na passada sexta-feira. Não foi possível apurar o valor deste investimento, mas fonte da OMD, a agencia de meios do Meo, "indepentemente dos elevados descontos que se praticam este seria sempre um investimento com alguma relevância".

0 comentários:

Com tecnologia do Blogger.

Follow Me