15 de junho de 2009

14 Junho 2009 - 00h00


Luís Franco-Bastos


"A minha família prefere ouvir o Jardim e Sócrates"





Quem é que te podia imitar?


A mim? Pois, a minha voz nunca ninguém fez. Já perguntei ao imitador António Machado se ele me conseguia imitar e ele disse-me que ainda não tinha reparado em nada. Mas talvez os meus amigos consigam imitar um ou outro tique. Por exemplo, a Maria João Cruz, das Produções Fictícias, reparou que eu tenho o hábito de pôr as mãos nos bolsos com o polegar de fora e de me balançar quando estou à espera de alguma coisa.



Isso era uma boa imitação?


Sim, mas desde que ela me disse eu deixei de fazer. Acho que é uma defesa e é muito frequente as personalidades começarem a conter os seus tiques depois de serem publicamente imitadas. O Paulo Bento deixou de dizer ‘tranquilidade’ quando o Ricardo Araújo Pereira o imitou.




ENTREVISTA COMPLETA AQUI


0 comentários:

Com tecnologia do Blogger.

Follow Me