21 de fevereiro de 2009

O meu objectivo é fazer as pessoas rirem – Ricardo Araújo Pereira


ricardo2.jpgO conhecido humorista dos “Gato Fedorento”, Ricardo Araújo Pereira, esteve no auditório da S. I. R. “Os Pimpões” a participar numa iniciativa do Agrupamento de Escolas de Santo Onofre, no módulo de “Leituras de Alto Risco”, uma sessão do Projecto Ler+, integrado no Plano Nacional de Leitura.
Este evento é ainda dividido em mais outros dois temas, “Música” e “Imagens de Alto Risco”, que terão lugar no auditório da Biblioteca Municipal, uma vez que se trata de uma iniciativa onde colaboram as bibliotecas públicas, no intuito de criar uma cultura integrada de leitura.
Na sessão dos Pimpões o humorista foi acompanhado por Ana Bela Martins, do Plano Nacional de Leitura e Rede de Bibliotecas Escolares, onde estão incluídas 33 escolas do país, cada uma delas com um programa próprio.
Nas Caldas o projecto designa-se “A minha escola é um livro gigante” e envolve as escolas e as bibliotecas do Agrupamento de Escolas de Santo Onofre em parceria com a Biblioteca Municipal.
“A leitura educa e quanto mais se lê mais abertura se tem e mais imaginação se ganha para perceber o Mundo. É uma vantagem em relação às pessoas que lêem menos”, começou por dizer o convidado, que disse não conhecer muito bem a cidade, só reconhecendo as Caldas “pelo Bordalo Pinheiro e pela loiça”.
“Tenho a sensação que já visitei uma fábrica das Caldas, acho que estive aqui quando andava na escola”, relatou..
Confrontado se irá fazer algum programa dedicado às Caldas e à sua loiça, declarou que “tem potencial mas ainda não me ocorreu nada”.
Durante as respostas da assistência Ricardo Araújo confessou que o seu “único objectivo é fazer rir as pessoas”.
Para o humorista “a coisa mais importante do Mundo é uma piada”, justificando que “fazer rir o público tem uma importância comparável às coisas melhores da vida. Nós falamos dos temas que nos interessa. Não falamos de um tema por achar que esse vai ser mais agradável para alguém. O meu objectivo é fazer as pessoas rirem”.
Ironizando a sua ligação à política,



Ricardo Araújo Pereira confessou que foi militante do PCP “quando vendia panados e imperiais na Festa do Avante”.
Ricardo Araújo Pereira respondeu inclusive a uma criança de cinco anos que lhe perguntou, “porque os Gatos só dizem parvoíces”. Na resposta bem-humorada como o caracteriza, começou por explicar que “é desta forma que passa os fins-de-semana”, com as duas filhas com cerca da mesma .
O Gato Fedorento manifestou também que “é possível que esteja condenado a que as pessoas tomem atenção àquilo que eu digo quando estou a brincar”, acrescentou.
Ricardo Araújo explicou ainda à assistência que fazer piadas em Portugal “é difícil porque as figuras públicas são as mesmas há muitos anos”, ao contrário dos Estados Unidos, onde o país é enorme e tem muito mais gente com que se possa brincar.
Aqui é o Valentim Loureiro que está nisto desde sempre. O Cavaco que está na política desde os anos 80, etc. Aqui temos um osso muito pequeno para roer porque não há grande coisa para dizer”, sustentou.











VEJA AQUI ALGUMAS PARTES DA CONVERSA QUE FOI BASTANTE ANIMADA


0 comentários:

Com tecnologia do Blogger.

Follow Me